(SALOÁ) NOTA DE FALECIMENTO – Quitéria Leite da Silva

/ 22 outubro
(SALOÁ) NOTA DE FALECIMENTO – Quitéria Leite da Silva

Resultado de imagem para nota falecimento

É com pesar que o esposo, Sr. Arnaldo Francisco da Silva, os filhos, Kátia, Cristiana, Cristineide, Crislaine e Cristian, irmãos, noras, genros, netos e os demais familiares, comunicam o falecimento da Senhora Quitéria Leite da Silva, mais conhecida por Quiterinha de Arnaldo, ocorrido às 23h de ontem (21) a caminho do Hospital Dom Moura de Garanhuns/PE.

O velório acontecendo na IBB – Igreja Evangélica Batista Betel localizada na Rua Padre Arthur Silvestre, 22, no centro de Saloá. A família informa ainda que o sepultamento acontecerá às 17h (5 da tarde) desta segunda-feira (22), de onde o corpo está sendo velado em direção ao cemitério de Santa Quitéria. Os parentes agradecem a todos que comparecerem a este ato de fé e irmandade cristã. Com informações e texto do blog Saloá Notícias
(SALOÁ) NOTA DE FALECIMENTO – Quitéria Leite da Silva

Resultado de imagem para nota falecimento

É com pesar que o esposo, Sr. Arnaldo Francisco da Silva, os filhos, Kátia, Cristiana, Cristineide, Crislaine e Cristian, irmãos, noras, genros, netos e os demais familiares, comunicam o falecimento da Senhora Quitéria Leite da Silva, mais conhecida por Quiterinha de Arnaldo, ocorrido às 23h de ontem (21) a caminho do Hospital Dom Moura de Garanhuns/PE.

O velório acontecendo na IBB – Igreja Evangélica Batista Betel localizada na Rua Padre Arthur Silvestre, 22, no centro de Saloá. A família informa ainda que o sepultamento acontecerá às 17h (5 da tarde) desta segunda-feira (22), de onde o corpo está sendo velado em direção ao cemitério de Santa Quitéria. Os parentes agradecem a todos que comparecerem a este ato de fé e irmandade cristã. Com informações e texto do blog Saloá Notícias
Continue lendo

SALOÁ – Vereadores denunciam perseguição política e mal atendimento na saúde do município

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sentadas e área interna

Este foi o assunto tratado na noite da quinta-feira (18) na câmera dos vereadores do município de Saloá, pelos vereadores da Nova Oposição, Valdir Lopes e Zé Cabelereiro. Valdir Lopes relatou o caos que está o atendimento em nosso município, servindo por exemplo sua esposa que infelizmente também foi uma das vítimas deste descaso que ocorre na Unidade Básica De Saúde De Saloá.
Levando para reunião reclamações de pessoas que o procuraram para fazer esta "denuncia" sobre o atendimento no Hospital Josina Godoy, o vereador Valdir Lopes, usou o seu tempo para falar sobre este assunto, veja:
“Pessoas estão indo ao hospital de nosso município, como exemplo a minha esposa que deu entrada com um começo de AVC, e por um motivo não explicado o médico pediu que ela retornasse à casa. Mulheres gestantes sendo uma a minha cunhada também sofreram com o caos do mal atendimento.
O equipamento de ultrassom por motivos que não sabemos, não estava funcionando e se as famílias não tivessem condições para fazer uma particular poderiam ter perdido suas crianças”. Assim relatou em um trecho de seu tempo o vereador Valdir Lopes.
Outro assunto levantado na câmara foi de um funcionário público de nosso município, que teve o nome citado na câmara por ter feito ameaças a moradores da zona rural de Saloá, o vereador Valdir Lopes relatou da seguinte maneira:
“Os moradores dos sítios SANTA TEREZA, BAIXA DA TELHA, JACINTO E MACIEL nos procuraram para dizer que o funcionário popularmente chamado Tito Couro, disse a eles que os filmaram frequentando nosso comitê em período de eleição, e devido a isso a água que é colocada pela prefeitura iria ser cortada, levamos até a promotora este assunto mas só poderia ser tomado alguma providência caso algum morador que foi ameaçado pelo mesmo se pronunciasse, mas por uma questão de segurança não quiseram levar a diante este assunto. Peço a mesa que possa alertar ao funcionário público que não faça isto novamente”. Assim encerrou suas palavras.
Lembrando que qualquer assunto que for tratado envolvendo Valdir Lopes e Zé Cabelereiro na câmara dos vereadores, é descutido pelos mesmos, durante a semana para ser levantado na reunião que acontece todas as quintas-feiras. Fonte: Assessoria Zé e Valdir
Programa de HADDAD prevê o fim das medidas do governo TEMER

Imagem relacionada

Por Kelly Oliveira e Pedro Rafael Vilela - Repórteres da Agência Brasil- O programa do candidato Fernando Haddad (PT), que teve sua versão atualizada neste segundo turno, têm um total de 62 páginas e dedica ao menos 18 para diversos temas relacionados à economia, incluindo a revisão de reformas aprovadas nos últimos anos e a mudança no modelo tributário do país.

A principal diretriz apresentada no programa é o que a candidatura chama de um “novo projeto nacional de desenvolvimento”. Para isso, Haddad defende, primeiramente, a revogação a Emenda Constitucional 95. Essa emenda determina que até 2036 as despesas federais não poderão crescer acima da inflação de 12 meses, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).
Outra proposta desse projeto de desenvolvimento é a revogação da reforma trabalhista, substituindo pelo Estatuto do Trabalho, produzido de forma negociada. A campanha diz que a “terceirização irrestrita” e a reforma trabalhista aprovadas pela atual governo impôs um “cardápio de contratos precários de trabalho”, desequilibrando as relações entre capital e trabalho, em favor dos empresários, e precarizando ainda mais o trabalho.
O novo estatuto do trabalho prevê “a reformulação e ampliação do sistema de formação ao longo da vida laboral dos trabalhadores, capaz de integrar no novo sistema de formação e aprendizagem das distintas linhas atualmente existentes. “Ao mesmo tempo, a sua operacionalização contará com a valorização de sindicatos e associações de trabalhadores e empresários na orientação da preparação para a qualificação profissional. Também fará parte a reorganização dos fundos sociais existentes para criar uma nova política de proteção durante a vida laboral dos trabalhadores”, diz o plano de governo. A revogação das reformas depende de aprovação do Congresso Nacional. 
Recuperação do emprego
Ainda na área do mercado de trabalho, a proposta de Haddad prevê a criação do Programa Meu Emprego de Novo. Para isso, serão necessárias várias medidas para elevar a renda, ampliar o crédito e gerar novas oportunidades, como prioridade para a juventude e retomada de obras.
Salário Mínimo
O plano de governo de Haddad prevê o Programa Salário Mínimo Forte, com a manutenção da atual política de reajuste, ou seja, definido por meio da fórmula que garante variação da inflação do ano anterior medida pelo INPC, acrescida da variação do PIB de dois anos antes, desde que ela seja positiva. “Haverá ganho real do salário mínimo em todos os anos, mesmo que o crescimento do PIB seja negativo. Isso porque aumentar o poder de compra do trabalhador é uma das maneiras mais eficazes de fazer a economia crescer”, diz o plano de governo.
Privatizações e pré-sal
Haddad também propõe suspender, caso eleito, a política de privatização de empresas estratégicas para o desenvolvimento nacional e a venda de terras, água e recursos naturais para estrangeiros. Além de “recuperar o pré-sal para servir ao futuro do povo brasileiro, não aos interesses de empresas internacionais”. A campanha do PT critica as mudanças nas regras para leilões de áreas de petróleo e gás realizadas pelo governo Michel Temer, que permitiu maior participação de companhias estrangeiras nos certames sob regime de partilha no pré-sal.
Câmbio
O plano de governo de Haddad prevê “regulações que reduzam os movimentos puramente especulativo de curto prazo sobre o mercado interbancário e sobre o mercado de derivativos”. “Dessa forma, a volatilidade da taxa de câmbio, causada pela especulação financeira, deverá ser fortemente inibida”.
Para isso, a proposta é que o imposto de exportações incidente sobre ascommodities (produtos primários com cotação internacional) poderá ser usado para estimular a elevação do valor agregado das exportações e minimizar a variação cambial. “Esse imposto deve acompanhar a variação dos preços e formar um fundo de estabilização cambial que beneficiará os exportadores no longo prazo”, diz a proposta.
Inflação, juros e crédito
Em eventual governo de Haddad, o Banco Central (BC) terá a autonomia mantida e o mandato de controlar a inflação, “permanecendo atento a temas como a estabilidade do sistema financeiro e o nível de emprego”. A proposta prevê a redução do custo do crédito, com aprofundamento da competição bancária estimulada pelos bancos públicos e pela difusão de novas instituições de poupança e crédito. “Daí porque torna-se fundamental revitalizar os bancos públicos, especialmente BNDES [Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social], BB [Banco do Brasil] e CEF [Caixa Econômica Federal], e os mecanismos de financiamento ao desenvolvimento nacional. O Brasil precisa superar a estrutura oligopolista que controla o sistema financeiro e bancário privado. Tudo isso para a retomada da bancarização, ampliação dos serviços bancários e difusão do crédito aos pequenos negócios e à população de baixa renda”, diz a proposta. Simultaneamente, propõe a adoção de uma tributação progressiva sobre os bancos, com alíquotas reduzidas para os que oferecerem crédito a custo menor e com prazos mais longos
O programa de governo de Haddad também propõe alteração da Taxa de Longo Prazo (TLP), “visando filtrar a volatilidade excessiva típica dos títulos públicos de longo prazo e dar incentivo a setores e atividades de alta externalidade e retorno social”.
Dívidas estaduais e reforma tributária
Um eventual governo Haddad pretende fazer renegociação das dívidas e da situação de guerra fiscal entre estados e municípios. O outro tema considerado central é a realização da reforma tributária voltada para alteração na composição dos tributos, estabilizando, ao longo do mandato, a carga tributária líquida no patamar do último período, assegurando as transferências para as políticas sociais sem perda de receita real dos entes federados.
A reforma tributária compreenderá, entre outras medidas, a tributação direta sobre lucros e dividendos e a criação e implementação gradual de Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que substitua a atual estrutura de impostos indiretos. No âmbito da reforma tributária, o plano de governo prevê uma reestruturação da tabela do Imposto de Pessoa Física, para isentar quem ganha até cinco salários mínimos (R$ 4.770), condicionado ao aumento das alíquotas para os “super-ricos”.
NÃO EXPLICA – Programa de governo de Jair Bolsonaro promete cortar gastos e privilégios – VEJA ALGUNS PONTOS

Resultado de imagem para bolsonaro

Por Pedro Rafael Vilela e Kelly Oliveira - Repórteres de Agência Brasil- Dass 81 páginas do programa de governo do candidato Jair Bolsonaro, segundo a versão registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), um total de 17 abordam diretamente temas econômicos. Uma das medidas principais propostas é o chamado "orçamento de base zero". Não há detalhamento de como seria implementado, mas a ideia é que o Orçamento Federal passaria a ser definido a partir de metas de cada área e não com base nos gastos de anos anteriores, como é feito atualmente. 
Criticando a concentração de arrecadação de tributos pela União, o programa fala também em desburocratizar e descentralizar a liberação de verbas públicas para estados e municípios, apesar de não indicar exatamente como isso poderia ser feito na prática. "Os recursos devem estar próximos das pessoas: serão liberados automaticamente e sem intermediários para os prefeitos e governadores. As obras e serviços públicos serão mais baratos e com maior controle social", diz um trecho do documento.
A área econômica, de acordo com a candidatura do PSL, passará a ter dois organismos principais: o Ministério da Economia e o Banco Central (BC). O objetivo é que o superministério incorpore as atuais estruturas e atribuições dos ministérios da Fazenda, Planejamento, Indústria e Comércio e a Secretaria do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI). O BC, segundo o programa, seria independente do Poder Executivo, com definição de mandatos para os integrantes de suas diretorias. 
Em outros pontos, o programa não menciona a necessidade de mais recursos públicos, mas insiste na ideia de que é possível cortar "desperdícios", "privilégios" e "fazer mais com menos". Promete também zerar o déficit público a partir do segundo ano de mandato (2020). Nas projeções atuais do Ministério do Planejamento, no entanto, o Brasil ainda acumulará déficit primário (resultado negativo das contas do governo sem o pagamento dos juros da dívida pública).
Resultado de imagem para ? 
Privatizações

O programa fala em reduzir o pagamento de juros, que custaram R$ 400,8 bilhões em 2017, com a venda de ativos públicos. "Estimamos reduzir em 20% o volume da dívida por meio de privatizações, concessões, venda de propriedades imobiliárias da União e devolução de recursos em instituições financeiras oficiais que hoje são utilizados sem um benefício claro à população brasileira. Algumas estatais serão extintas, outras privatizadas e, em sua minoria, pelo caráter estratégico, serão preservadas", sem detalhar quais empresas estariam envolvidas numa eventual operação de venda ou extinção. 

Prevendo eventuais dificuldades políticas na aprovação de privatizações de empresas públicas, o programa do presidenciável fala em desenhar operações que deem à União ações de golden share. Esse tipo de ação, existente no caso da Embraer, permite ao governo, mesmo quando for controlador minoritário de uma companhia, o poder de decisão sobre questões relacionadas à venda, controle e mudança de sede da empresa. 

"O BNDES deverá retornar à centralidade em um processo de desestatização mais ágil e robusto, atuando como um 'Banco de Investimentos' da União e garantindo que alcancemos o máximo de valor pelos ativos públicos", descreve outro trecho do programa. 
Previdência 
Em relação à reforma da Previdência, o programa de Bolsonaro defende a implantação, no país, de um modelo privado de capitalização do setor. "A grande novidade será a introdução de um sistema com contas individuais de capitalização. Novos participantes terão a possibilidade de optar entre os sistemas novo e velho. E aqueles que optarem pela capitalização merecerão o benefício da redução dos encargos trabalhistas", diz um trecho da proposta. 
Reforma tributária
Como proposta para o sistema tributário do país, o programa do candidato do PSL fala em unificar impostos e simplificar o sistema de arrecadação de tributos. Uma das promessas é reduzir de forma gradativa os impostos, por meio da eliminação e unificação de tributos, "paralelamente ao espaço criado por controle de gastos e programas de desburocratização e privatização". Apesar disso, o programa não diz quantos nem quais impostos poderiam ser reduzidos ou eliminados. O assessor econômico de Bolsonaro, Paulo Guedes, que já foi anunciado como ministro da Economia se o candidato for eleito, já disse, em recente conversa com investidores, a intenção de criar uma alíquota única de 20% no Imposto de Renda, que passaria a incidir sobre quem ganha acima de cinco salários mínimos.   
Em outro ponto, o programa de governo fala na introdução de mecanismos capazes de criar um sistema de imposto de renda negativo na direção de uma renda mínima universal e, ainda, "melhorar a carga tributária fazendo com que os que pagam muito paguem menos e os que sonegam e burlam paguem mais". Não há, na proposta, o detalhamento sobre medidas legislativas que deveriam ser adotadas para enfrentar as questões apontadas.
Carteira verde e amarela
Bolsonaro pretende criar um novo tipo de carteira de trabalho, batizada em seu programa de "carteira verde e amarela", que seria voltada ao jovem quando ingressasse no mercado de trabalho. Por essa carteira, o contrato individual de trabalho teria prevalência sobre a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), mas sem violar dispositivos trabalhistas previstos na Constituição. 
Em outro ponto, o programa fala em instituir uma renda mínima para todas as famílias brasileiras, em valor acima do benefício pago pelo programa Bolsa Família. Não há detalhamento de como seria implementado o benefício.  
Comércio exterior
O programa do candidato do PSL propõe facilitar o comércio internacional como forma de promover o crescimento econômico do país no longo prazo. Para dinamizar o setor, a ideia apresentada é reduzir alíquotas de importação além de outras barreiras não tarifárias, paralelamente com a assinatura de novos acordos bilaterais com outros países. O programa não detalha quais impostos e barreiras seriam revistas.
Investigação em fundo de previdência leva prefeito do CABO de SANTO AGOSTINHO a prisão

Resultado de imagem para lulacabral

O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Luiz Cabral de Oliveira Filho, foi detido pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira (19) em ação da Operação Abismo, provocada por uma Auditoria Especial realizada pela Gerência Regional Metropolitana Sul (GEMS) do Tribunal de Contas do Estado. O relator do processo é o conselheiro Carlos Porto.
Após denúncia representada pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ao Ministério Público de Contas (MPCO), um relatório preliminar elaborado pelo TCE apontou irregularidades na empresa Terra Nova/Bridge Gestão e Administração de Negócios LTDA., que recebeu R$ 92,5 milhões do instituto de previdência social dos servidores do município, Caboprev. O valor repassado em forma de investimento pelo Caboprev, em outubro do ano passado, corresponde à metade dos recursos do fundo previdenciário, o que vai de encontro aos Princípios da Razoabilidade e o da Prudência, que determina a diversificação dos investimentos. 
Em face do alto risco da operação financeira, o conselheiro Carlos Porto emitiu um alerta, em abril deste ano, ao prefeito e à gestora do Caboprev, solicitando a apresentação de informações quanto à motivação e aos estudos efetuados que levaram à opção pelo alto investimento na companhia, além de portfólios de produtos dos fundos investidos.
O não cumprimento das solicitações provocou a auditoria especial do TCE, cujos resultados foram repassados ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal. O inquérito posterior revelou, então, um esquema de fraude que envolve pessoas investigadas por outras operações. Ainda nesta manhã, mais 17 pessoas foram detidas. Atualmente, o caso se encontra em segredo de justiça. 
"O esquema revelado é resultado de uma parceria entre MPPE, MPCO, Tribunal de Contas, Ministério Público Federal e Polícia Federal. O modus operandi dos investigados é o mesmo observado por outras operações da PF, o que revela a possibilidade de haver uma atuação mais ampla. Posteriormente, outras prefeituras serão investigadas", revelou a procuradora geral do MPCO, Germana Laureano.
Gerência de Jornalismo (GEJO), 19/10/2018
VOX POPULI – Bolsonaro 53%, Haddad 47%

Resultado de imagem para bolsonaro vs haddad

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira (19) pelo Instituto Vox Populi, mostra um resultado bem diferente de trabalho publicado pelo Datafolha, com relação à disputa eleitoral nacional, faltando apenas nove dias para o povo ir às urnas.

Pelo Datafolha Jair Bolsonaro (PSL), tem 59% da intenção de votos, contra 41% de Fernando Haddad (PT). Diferença de 18 pontos.

Já no Vox Populi, o candidato da direita lidera com 53% e Haddad soma 47%. Diferença de seis pontos percentuais.

O instituto ainda indica 12% de brancos e nulos, mais 5% “não sabe” ou “não respondeu” o questionário.

Vox Populi realizou 2 mil entrevistas, em 120 municípios brasileiros, nos dias 16 e 17 (terça e quarta).

A margem de erro é de 2,2%, estimada em um intervalo desconfiança de 95%. A sondagem foi registrada no TSE com o número BR-08732/2018.

Segundo internautas que acompanham a briga dos números, a pesquisa do Datafolha privilegiou as regiões Sul e Sudeste, onde Bolsonaro tem ampla preferência, dando menor peso ao Nordeste. Nesta parte do país, Fernando Haddad lidera com 65%.
Daniel da Saúde é o novo presidente da câmara de vereadores de Garanhuns


Por 10 votos a 3, o Vereador Daniel da Silva (PSC), popularmente conhecido por Daniel da Saúde, foi eleito presidente da câmara de Garanhuns, para o biênio que compreende os anos de 2019-2020. O parlamentar, que está no exercício do seu quarto mandato, disputou o cargo pela primeira vez.

A eleição que consagrou Daniel como próximo dirigente da casa Raimundo de Moraes, ocorreu na manhã desta quinta-feira (18). Além dele, foram eleitos, Gil PM (PSC); para o posto de vice-presidente, e ainda Luzia da Saúde (PTB), e o Professor Márcio (PHS), para a primeira e segunda secretaria, respectivamente.

Daniel assume o posto já no próximo dia 2 de janeiro de 2019. Ele fica no cargo até 31 de dezembro de 2020, mesmo dia, em que se encerra o mandato do atual Prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB), de quem ele é aliado de primeira hora. Com informações e texto do blog do Gidi Santos
IBOPE (votos válidos) – Bolsonaro 59%, Haddad 41%

Resultado de imagem para bolsonaro

O Ibope divulgou nesta segunda-feira (15) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado no sábado (13) e domingo (14) e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 59%
Fernando Haddad (PT): 41%
SALOÁ – Ricardo de Zé Ricardo continua desaparecido


Continua desaparecido há cerca de 23 dias (desde 21 de setembro) o Sr. Ricardo Fernando de Souza (69 anos), mais conhecido como Ricardo de Zé Ricardo. Os familiares buscam informações sobre o paradeiro e quaisquer informações ligar para os números (87) 9 8134-1449.

Bastante conhecido em Saloá, Ricardo apresenta alguns problemas mentais e a família busca desesperadamente por informações.
GIRO POLÍTICO (BOM CONSELHO) – Dannilo Godoy consegue grande vitória – GIVALDO DO SINDICATO mostra que pode ser um bom candidato a prefeito

Resultado de imagem para dannilo godoy bom conselho

O prefeito de Bom Conselho, Dannilo Godoy (PSB), além de ter quebrado o tabu na “terra da Papacaça”, onde nunca nenhum prefeito tinha conseguido ser reeleito, conseguiu uma maiúscula vitória nestas eleições e fez de seus candidatos a deputado estadual e federal os mais votados no município com uma boa margem de votos. Através de uma política de coalizão, seu sucessor possui grandes chances de lograr êxito em 2020.

Bom para o presidente do STR, Givaldo do Sindicato, que ao lado da vereadora Ivete Enfermeira e mais algumas lideranças políticas e comunitárias conseguiram uma excelente votação para seus candidatos, Wolney Queiroz e Doriel Barros (ambos eleitos). Givaldo na opinião de algumas lideranças possui totais condições de disputar a prefeitura em 2020, ainda mais agora que o grupo foi o segundo mais votado no município.

Capitão Boanerges também conseguiu uma boa votação e com certeza será um dos nomes lembrados para o pleito que se avizinha. Coronel Campos também é uma boa aposta.
GIRO POLÍTICO (SALOÁ) – Ricardo Alves TRATORIZA seus adversários – WELLINGTON FREITAS e grupo político são os mais votados da OPOSIÇÃO


O prefeito Ricardo Alves (MDB), conseguiu uma das maiores vitorias do agreste meridional nas eleições de 2018. Se não bastasse ser o prefeito mais votado da história, ter a maior diferença de votos em uma eleição, o governante saloaense, simplesmente TRATORIZOU seus adversários e fez dos seus deputados estadual e federal os mais votados da história de Saloá.

Ao lado dos vereadores Zé Cabeleireiro (PP), Valdir Lopes (PRTB), do suplente de vereador, Professor Bá (PP) e do grupo da NOVA Oposição, Wellington Freitas conseguiu fazer dos seus deputados federal e estadual, os mais votados da oposição em Saloá. O grupo conseguiu derrotar em número de votos os candidatos apoiados pelo ex-prefeito, Gilvan Pereira (PTB) e do candidato a deputado estadual apoiado pela vice-prefeita do município e seu esposo, o ex-prefeito Zé do Leite.

As especulações agora são para saber quem de fato irá encabeçar a chapa oposicionista em 2020, já que com a acachapante vitória do atual prefeito ele não deve procurar aliados. Pelo menos por enquanto.
Agressões por motivações políticas crescem, mostra estudos da FGV

Resultado de imagem para jovem tatuada com suástica

Da Globo.com - Desde que o segundo turno começou, relatos nas redes sociais sobre agressão a gays e lésbicas e transexuais têm aumentado nas redes sociais, assim como demonstrações de intolerância política motivada pela escolha de candidatos por eleitores. Um levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV) traz dados dessa situação.

O estudo da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV mostra que os comentários sobre agressões por motivação política geraram 2,7 milhões de postagens desde que o segundo turno começou, contra 1,1 milhão nos 30 dias anteriores à eleição. Essas postagens repercutem denúncias de agressões que circulam nas redes ou são notícias nos jornais.

É o caso do capoeirista Moa do Katendê, fundador do grupo de afoxé Badauê, assassinado com 12 facadas após uma discussão num bar em Salvador. Segundo testemunhas, inclusive o dono do bar, ele defendia o voto no PT e foi morto por Paulo Sérgio Ferreira de Santana, eleitor de Bolsonaro. O assassino confessa o crime, mas nega que o motivo tenha sido divergência política. Diz que matou Moa por ter sido xingado.

Há comentários também sobre relatos de agressões a gays, lésbicas e travestis, agressões físicas e verbais. Muitos da comunidade LGBT dizem nas redes que são vítimas de ameaças e xingamentos por parte de eleitores de Bolsonaro. Em Porto Alegre, uma jovem foi agredida por três homens. Ela tinha colado na bolsa um adesivo com a bandeira do movimento LGBT, onde havia a inscrição “Ele, não”. Os agressores marcaram o corpo dela com uma suástica, usando um canivete. O delegado afirmou que a vítima disse em seu depoimento que foi um caso de homofobia.

Ao jornal "Folha de S. Paulo", o diretor do departamento da Fundação Getúlio Vargas, que produziu o estudo, Marco Aurélio Ruediger, diz que o gráfico registra relatos de agressões contra partidários de Bolsonaro também. Ele disse que o discurso do ódio é generalizado, assim como as ações. E que basta ver o atentado que Bolsonaro sofreu.

A condenação a esse tipo de comportamento contra pessoas LGBT ou agressões por intolerância política é geral. Já surgiram iniciativas na internet para mapear as denúncias e checar a veracidade. É o caso do site Vítimas da Intolerância, organizado pela Entidade Open Knowledge Brasil. Há outras iniciativas do gênero.

Depois do assassinato de Moa do Katendê, o candidato do PT, Fernando Haddad, condenou na quarta-feira (10), todo tipo de violência: "Veja bem, nós estamos conversando com todas as forças que queiram conter a barbárie, que está em escalada no país. Nós temos que botar um fim nessa violência. É demais o que está acontecendo", disse Haddad.

O candidato Jair Bolsonaro também repudiou a violência e, na quinta-feira (11) disse que dispensa o voto de eleitores que cometem tais atos: "Dispensamos esse tipo de voto. Não queremos a violência de quem quer que seja, tenha votado em mim ou não, cometeu crime, vai ter que pagar", disse Bolsonaro.


“Agem de forma correta, porque a omissão equivale a dar um sinal verde a quem será governado de que essas manifestações são legítimas. Nunca são. É preciso ter consciência de que o preço a pagar será muito alto: o descontrole social decorrente da violência disseminada é extremamente arriscado, corrosivo, para qualquer governo. Eleição não é unção. A legitimidade do poder político só acontece quando o eleito consegue se impor como líder em um ambiente pacificado e democrático. Não deve interessar a ninguém seguir um caminho diferente”.

GIRO POLÍTICO (ÁGUAS BELAS) – Genivaldo mostra que tem prestígio e é o estadual mais votado – Prefeito LUIZ AROLDO vence no federal que é o mais votado

A imagem pode conter: Genivaldo Menezes Delgado, sorrindo

E depois do rompimento entre o prefeito Luiz Aroldo (PT) e o ex-prefeito e principal cabo eleitoral seu em 2016, Genivaldo Menezes (PCdoB), os dois foram as urnas e se testaram perante o eleitorado cada um do seu lado.

Candidato a deputado estadual, Genivaldo mostrou que tem prestigio e votos para bater qualquer um em Águas Belas e mesmo não tendo sido eleito deputado estadual conseguiu ser o mais votado do município. Nas redes sociais o ex-prefeito agradeceu os votos, aproveitou para cutucar seu ex-protegido e se despediu com um “até 2020”.

Já o prefeito Luiz Aroldo, também conseguiu mostrar que possui seguidores e fez do seu federal, Carlos Veras o mais votado. A política em Águas Belas mostra que será bastante disputada nas próximas eleições. Luiz Aroldo e Genevaldo Menezes juntos parecem imbatíveis, já separados deverá ganhar quem tiver uma capacidade de articulação mais aguçada.
Alcindo é o 1º vereador de Garanhuns a registrar candidatura a presidência do legislativo


Passado as eleições estaduais, o foco agora em vários municípios será a sucessão na presidência das câmaras municipais, que em sua maioria ocorrerão até o final do mesmo de dezembro de 2018. Os eleitos comandarão as respectivas câmaras no biênio 2019/2020.

Em Garanhuns, o vereador Alcindo Correia (PCdoB), líder do governo Izaías Régis na câmara, foi o 1º parlamentar da casa Raimundo de Moraes a registrar sua candidatura à presidência. A eleição ocorre na próxima quinta-feira (18) e deve mexer ainda mais com os ânimos políticos.

Alcindo é vereador em Garanhuns desde janeiro de 2013 e foi um dos principais articuladores da candidatura vitoriosa do também vereador Audálio Ramos naquele ano. Depois, votou e participou ativamente da vitória de Gersinho Filho (2015/2016) e de Carla de zé de Vilaço (2017/2018), que é a atual presidente. Pelo histórico de companheirismo é esperado que agora seja a vez de Alcindo, o que não afasta é claro que a disputa deverá ser bastante disputada resolvendo-se apenas nos últimos dias.

Mesmo com uma forte oposição, o prefeito Izaías ainda tem a maioria dos vereadores ao seu lado e Correia poderá ser o agraciado, já que vem demonstrando bastante habilidade política tanto dentro como fora do legislativo.
Em PARANATAMA juventude que apoiou Marília Arraes comemora resultado positivo


Sem capital político até o último domingo, o professor e profissional de Educação Física, Natercio Roldão mostrou a força da juventude de Paranatama. Mesmo sendo de família tradicionalmente política na cidade, nunca havia colocado a cara para pedir votos e decidiu a pouco menos de um mês das eleições apoiar o nome de Marília Arraes ao congresso nacional.

Com a divisão política entre os grupos do ex-prefeito, Zé Teixeira e do atual prefeito, Valmir do Leite, especulava-se que o apoio de Natercio e alguns jovens à Marília não iria passar dos 100 votos, já que a disputa estava concentrada entre os dois maiores grupos.

Levando em consideração o fato de não ter nenhum político junto ao grupo, a surpresa veio com o fim da apuração dos votos, ficando a neta de Arraes com 328 votos. Marília teve mais votos em Paranatama do que em outros 14 municípios do agreste meridional (confira matéria AQUI), o que foi motivo de muitos agradecimentos de Natercio ao povo que confiaram em suas palavras.

Segue a nota de agradecimento ao povo de Paranatama:

Agradeço primeiramente ao meu bondoso Deus, em seguida aos meus 328 amigos(as) de Paranatama que confiaram nas propostas de Marília Arraes apresentadas por mim, um simples cidadão e eleitor. Lutamos, sofremos e conquistamos a vaga no congresso nacional com quase 200 mil votos.

Muito obrigado a todos, não tenho palavras para agradecer a confiança, respeito e consideração que tiveram por mim.

A resposta do povo foi federal!!!
Obrigado Paranatama!
GIRO POLÍTICO (GARANHUNS) – Sivaldo Albino, Audálio Ramos, Tonho de Belo e Alcindo Correia saem MAIORES das eleições 2018 – Mesmo com derrota Armando Monteiro foi majoritário


Não é toda vez que se consegue sair vitorioso das eleições. Um bom político tem que saber de “có” o perfil dos eleitores de sua localidade e foi justamente nesse ponto que o prefeito Izaías Régis acabou sucumbindo no discurso que ele mesmo ajudou a criar.

Bom para Sivaldo Albino (PSB), seu principal adversário, que além de ser o estadual majoritário em Garanhuns, deverá assumir o mandato de deputado, puxado pela estrondosa votação que a delegada Gleide Ângelo (PSB) obteve. Aliás, o PSB de Paulo Câmara, também fez de João Campos (dobradinha com Sivaldo) o deputado federal mais votado da cidade das flores. Sivaldo deverá ser um fortíssimo candidato a prefeito em 2020, principalmente se unir os oposicionistas no município.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, barba e atividades ao ar livreComo ele mesmo descreveu nas redes sociais “uma campanha sem recursos”, o vereador Audálio Ramos (DC), segurou a “pecha” que não votaria em candidato forasteiro, manteve a coerência, candidatou-se a estadual e foi o segundo mais votado do município, batendo inclusive Álvaro Porto. Audálio certamente tem o sonho de ser candidato a prefeito em 2020, já que Izaías deverá apresentar seu sucessor.

Outro parlamentar da “terra da garoa” que se deu bem foi Tonho de Belo. Vereador em seu primeiro mandato, Tonho formou um pequeno grupo, com destaque para Rafael Peixoto (presidente do PP municipal). O grupo conseguiu dar uma boa votação à Luciano Bivar (2.857 votos), ele que é presidente estadual do PSL, partido de Jair Bolsonaro.

Alcindo Correia (PCdoB), mostrou que não tem medo de cara feia e que tem votos e prestigio junto a seu eleitorado, pegou um deputado estadual desconhecido do povo garanhuense no início da campanha, fez movimentos e conseguiu sozinho, dar mais de 700 votos a Zé Maurício (PP). Em São Pedro (de onde Alcindo é natural), Zé Maurício conseguiu expressiva votação.

Mesmo sendo vítima do seu próprio discurso “Garanhuns não vota em forasteiro”, que inclusive implodiu uma candidatura de Antonio João Dourado a prefeito em 2012, o prefeito Izaías Régis (PTB), conseguiu mostrar todo seu prestigio na votação dada à Armando Monteiro (PTB).

Imagem relacionada

Mesmo sendo derrotado com larga escala para Paulo Câmara, Armando conseguiu uma grande vitória em Garanhuns, puxado principalmente pela boa aceitação que Izaias possui na “Suíça pernambucana”.

Agora é esperar para ver quem será escolhido sucessor de Izaías e como irá se comportar os vereadores que são seus aliados na câmara para 2020.
DATAFOLHA 2º TURNO – Bolsonaro tem 58% dos votos válidos, Haddad 42%

Resultado de imagem para bolsonaro arma

O Datafolha divulgou nesta quarta-feira (10) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado nesta quarta, dia 10, e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 58%
Fernando Haddad (PT): 42%