Educação de Saloá em crise - professores lutam para terem direito assegurado

EDUCAÇÃO DE SALOÁ EM CRISE – PROFESSORES LUTAM POR DIREITO A REAJUSTE

Foto divulgação

A educação no município de Saloá, passa por um momento de dúvidas e incertezas. De um lado temos os professores da rede municipal de ensino (efetivos), que desde o mês de Fevereiro de 2014 que esperam pelo reajuste de 8,34% aplicado e repassado pelo governo federal a todos os municípios do Brasil.

Por outro lado temos os números do IDEB divulgados na última semana, onde infelizmente os números não foram muitos animadores e a educação de Saloá retroagiu em relação aos anos anteriores e ficamos longe de alcançarmos algumas metas.

Professores insatisfeitos com salários, secretaria de educação preocupada com os índices e governo municipal que não cumpre a lei do piso. Toda essa mistura faz com que a educação Saloaense se encontre em crise e com futuro incerto.

Na última segunda (08) em reunião com a secretária de educação, Josevalda Cavalcante, a mesma insistiu em dizer que o governo paga o piso como manda a lei a todos os efetivos e o reajuste que deu aos contratados foi apenas um complemento salarial ou algo parecido.

Vamos aos fatos.

Tive acesso a um contracheque de um professor e é desse contracheque que vamos definir nossa linha de pensamento.

O contracheque analisado mostra que o professor ora exemplificado possui 150h.a e está classificado entre 15 e 20 anos de serviço, o que lhe dá direito a 20% de quinquênio. Esse mesmo professor é pós-graduado o que lhe dá mais 21% de gratificação. A prefeitura paga a esse professor R$ 12,26 por h.a e, um salário de R$ 1.839,00.

Aplicando os 8.32% a que tem direito a hora aula desse professor passaria a ser R$ 13,28 e seu verdadeiro salário era/é para ser R$ 1.992,00. Uma diferença salarial de R$ 143,00 mensais, levando em consideração que este mesmo professor tem direito a esse repasse equivalente aos 08 meses (Janeiro até Agosto), o governo municipal deve somente a esse profissional R$ 1.224,03.

Pelos dados (não oficiais), a prefeitura de Saloá possui atualmente algo em torno de 120 professores efetivos. Se multiplicarmos esses profissionais pelo valor que é devido aos efetivos da educação, o governo deve algo em torno de 150 mil reais. E olhe que esse valor pode até ser maior e a cada mês que esse saldo não é quitado a dívida aumenta algo em torno de 18 mil reais mensais.

E ainda querem enganar a quem dizendo que pagam o piso. A verdade é dura más é preciso dizer. Eu me orgulho de ser oposição. Acho melhor ser oposição a dar tapinhas nas costas dizendo que as coisas estão indo bem. Meu desejo é que a prefeitura consiga pagar os professores e para mim estará tudo na mais perfeita harmonia.

Abraço a todos meus colegas professores.

Atenciosamente


Wellington Freitas – PROFESSOR e vereador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com responsabilidades, não ofenda e nem acuse a quaisquer cidadão. afinal o blog, o blog é de vocês.