AUDIÊNCIA PÚBLICA ENTRE VEREADORES, PROFESSORES E PREFEITURA PROMETE LOTAR AUDITÓRIO DA CÂMARA NESTA QUINTA (19)

AUDIÊNCIA PÚBLICA ENTRE VEREADORES, PROFESSORES E PREFEITURA PROMETE LOTAR AUDITÓRIO DA CÂMARA NESTA QUINTA (19)


Nesta quinta-feira (19), está marcada para acontecer no plenário da casa José Soares de Melo em Saloá, uma Audiência Pública entre os professores da rede pública municipal de ensino, vereadores e representantes do governo municipal, a citar a secretária de educação, Josevalda Cavalcanti, o contador da prefeitura, o Sr. Natanael e a professora Ivani, que foi uma das elaboradoras da reestruturação do PCC (plano de cargos e carreiras) do município.

Na pauta central da discussão está, a apreciação e futura votação do PCC que foi enviado ao legislativo municipal no final de Fevereiro. O projeto de lei enviado pelo executivo já causa certa inquietação entre os docentes, onde o mesmo reduz gratificações e afeta de forma direta os vencimentos dos profissionais da educação. A saber a gratificação por titulação vigente no município é de 12% por cada faixa e o “novo” PCC reduz essa gratificação para 5%, causando assim uma perca para cada profissional.

No último dia 05 de Março do corrente ano os professores reuniram-se em assembleia na câmara e após acertarem alguns pontos que ferem seus direitos e extinguem garantias, participaram também da reunião ordinárias dos vereadores, onde na oportunidade colocaram suas dificuldades e angustias que o referido projeto poderá vir acarretar ser for aprovado na íntegra, da forma que o executivo enviou.

A expectativa é que nesta quinta (19), professores e vereadores consigam chegar a um entendimento sobre quais emendas deverão ser apresentadas. Dos nove vereadores que compõe o legislativo municipal, cinco possuem formação superior, e destes, quatro tem formação em licenciatura e dois são professores atuantes nas cidades de Garanhuns e Saloá. Acreditamos que conhecimentos e entendimentos não irão faltar nesta reunião, até porque cada vereador e a comissão que irá analisar as possíveis emendas já devem ter elencado alguns questionamentos.


O mal-estar entre professores e a atual gestão municipal vem desde o ano de 2014, onde os profissionais do magistério não receberam o reajuste anunciado pelo MEC na época, de 8,32% e acabaram por deflagrarem GREVE. A peleja entre professores e gestão municipal encontra-se no momento a critério da justiça estadual, já que a justiça do município deu ganho de causa em favor dos professores.


O reajuste aprovado pelo MEC para este ano de 2015 é de 13,01%.

2 comentários:

  1. Amigo o reajuste de 2014 foi de 8.32 e não 7.34, esperamos que o prefeito não queira repetir o mesmo desrespeito e desvalorização pela classe dos profissionais da educação que ele cometeu em 2014. Lembrando que ele já está em atraso de atualização do piso de 2015 dado em janeiro pelo MEC, já estamos no final de março e ele ainda não definiu data para pagar o reajuste de 13.01 e retroativo de janeiro. Ta pedindo Greve!!!

    ResponderExcluir

Comente com responsabilidades, não ofenda e nem acuse a quaisquer cidadão. afinal o blog, o blog é de vocês.